Qual a relação da educação e as crianças da geração Z?

A relação da educação e as crianças da geração Z

A geração Z são aqueles nascidos a partir da metade da década de 1990, que representam uma revolução para o futuro, nasceram sob o domínio da tecnologia e possuem uma aptidão natural para lidar com objetos eletrônicos em geral, aprendendo rapidamente a funcionalidade de DVDs, celulares e computadores de todos os tipos.

Esses jovens são influenciados pelo mundo globalizados interconectado e tecnológico em que vivemos, gerando características únicas nas crianças, sendo a principal delas a integração total à tecnologia.

Com isso, a tecnologia começa a fazer parte do ambiente educacional, afinal, ela está presente em todo o lugar através de conexão constante, em casa pelo modem, na rua pelo wi-fi, etc. O uso da internet na escola abre então um grande leque de possibilidades.

  • O uso de comunicadores instantâneos auxiliam na realização de plantões online alguns dias antes da prova ou da entrega de algum trabalho.
  • O desenvolvimento de redes sociais e colaborativas para o compartilhamento de informações, trabalhos, resumos e pesquisas. Através dela os alunos socializam e navegam pelo conhecimento, aprimorando-o.
  • O uso da conexão na própria sala de aula auxilia a realização de pesquisas em conjunto, substituindo o famoso copia-e-cola por um método apropriado de pesquisa.

Os comunicadores instantâneos e as redes sociais são capazes de fornecer um aprendizado contínuo, devendo ser acessados fora do horário de aula. Além disso, são divertidos, pois na mente da criança se tornam entretenimentos, e não mais afazeres. A conexão dentro da sala de aula transforma uma aula entediante e uma atividade ágil, capaz de despertar a curiosidade do aluno.

O limite das interações online é determinado somente pela capacidade imaginativa do educador, e este deve se abrir às novas possibilidades oferecidas por todas as ferramentas de auxílio digital, atualizando-se e encarando o computador como um aliado.

Comentários

Este artigo ainda não possui comentários.
FAÇA UMA PERGUNTA!

Seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados *