A importância da brincadeira para as crianças

Playground Climber

Antigamente, quando não existiam jogos eletrônicos, computadores e televisão, as crianças passavam seu tempo brincando com coisas simples, como objetos caseiros ou brinquedos feitos pelos pais, tios e avós. Dizer que os tempos antigos eram melhores, porque não existia tecnologia digital, não é algo sensato. Claro que o avanço tecnológico agregou muito valor à vida, como um todo. No entanto, algumas coisas precisam ser resgatadas, pois, lidar com objetos físicos e interagir com outras crianças é fundamental para o amadurecimento psicológico e social das crianças. Sendo assim, é preciso variar entre brincadeiras que sensibilizam a mente e outra que promovem a integração social.

Não é porque não existia tecnologia, que as crianças dos tempos da vovó não brincavam de forma sadia. Fora do controle dos mais velhos, a criançada aprontava todo tipo de traquinagem, algumas muito graves. No entanto, por falta de opções, as brincadeiras eram muito interativas, e isso possibilitava o desenvolvimento social, que é muito importante, para as crianças. Lev Vigotsky, cientista russo, autor de uma das bases da teoria da aprendizagem, afirmava que é nas interações sociais que a criança exercita tudo o que aprende. É manuseando, experimentando, pulando nos colchões, nas almofadas e nos pisos emborrachados, compartilhando que se constrói a aprendizagem.

 Somos privilegiados por ter ao nosso dispor o mundo da informação, que coloca nossos filhos em contato com todo o saber humano, acumulado ao longo dos milênios, em forma de filmes, livros, desenhos, jogos eletrônicos, simulações de todos os tipos. No entanto, tudo que a criança aprende na mídia eletrônica precisa ser exercitado nas relações sociais e na interação com o mundo concreto. Por isso, desde cedo, as crianças precisam ser colocadas em escolas adequadas a sua faixa etária, para receber as informações adequadas e poder se relacionarem umas com as outras.

 Nessas escolas, devem ter contato com brinquedos que transitam do concreto ao abstrato, ou seja, precisam manusear objetos simples e, aos poucos, se acostumarem com o pensamento abstrato, com as simulações mentais. Tudo isso precisa ser exercitado com os pais e familiares mais velhos, em parques, praias, praças, em brinquedos para playground, passeios e viagens. Ajude seu filho a se desenvolver de forma integral!

Comentários

Este artigo ainda não possui comentários.
FAÇA UMA PERGUNTA!

Seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados *