Playground também é ambiente de aprendizado social

linha-casinha-infantilA ideia central de se levar uma criança ao playground é o de, com isso, divertí-la, proporcionando momentos de entretenimento e convivência com outras crianças da sua idade. Afinal, toda criança gosta de passar um tempo (ou todo tempo) brincando e se divertindo, com outras crianças.

Mas não é, só, para brincadeiras, que um playground pode ser utilizado. Até porque, estamos falando de um espaço que, além de muitas crianças e adultos, concentra, também, muitos brinquedos, cada um maior, mais elaborado e, claro, mais disputado, do que o outro. O que isso pode ter de bom e proveitoso, para seu filho? Muita coisa. Não, só, para ele, mas, inclusive, para você, pai/mãe, também!

Com tanta gente, num espaço só, a criança tem a oportunidade de aprender – e os pais, o dever de ensinar – regras básicas, mas muito importantes, de convivência, seja social ou não. Regras que, muito provavelmente, vão acompanhá-la, pelo resto de suas vidas.

Cada uma possuí seu próprio comportamento, seu modo de lidar com as situações e os obstáculos, e, num playground, isso não é diferente. Um dos conceitos primordiais, para se ensinar à criança é o de saber dividir os espaços. Ela tem que esperar sua vez de brincar, caso haja outra criança, na sua frente. Pedir permissão e esperar sua vez, pode ser uma maneira de interagir e fazer amizades, também.

Para os pais, as dicas são mais relacionadas ao cuidado com as crianças. Primeiro, nunca deixe a emoção aflorar, em qualquer hipótese. Se seu filho encontrar problemas com outras crianças, advirta o encrenqueiro, mas sem perder a calma ou alterar a voz. Caso isso não funcione, puxe seu filho para longe dele e siga em frente. Para que a convivência de vocês fique mais aprazível, uma boa opção é, em especial, no caso das mães, puxar papo com outros responsa´veis, no playground. Além da possibilidade de distração e boas conversas, seu filho pode, também, encontrar mais um modo de fazer novas amizades. Contudo, não exagere na intimidade, deixando ele sob os cuidados de qualquuer um, por lá. Mesmo que a distância, mantenha ele, sempre, em seu campo de vista, seja qual for o brinquedo em que ele estiver.

Por mais simples que pareçam, essas dicas são essenciais para o bom convívio, comportamento e para a diversão da criança, que pode, mais do que, “apenas”, brincar, estabelecer sólidos conceitos e amizades, para a vida toda.

 

Comentários

Este artigo ainda não possui comentários.
FAÇA UMA PERGUNTA!

Seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados *